ORÇAMENTO DE OBRAS SEM SEGREDOS (simples e fácil) - parte 2

By | quarta-feira, setembro 29, 2010 Leave a Comment
No post anterior, sobre ORÇAMENTO DE OBRAS, tratamos das definições básicas. Agora vamos comentar sobre o que compreende um orçamento bem elaborado e como fazer uma noção de custo. 

Para o professor Manoel Henrique de Campos Botelho, um bom orçamento, compreende:

  • Análise e estudo cuidadoso do projeto;
  • Estudos de alternativa de execução;
  • Estudos de alternativa de materiais;
  • Levantamento dos serviços a executar;
  • Verificação da existência no mercado dos materiais a serem empregados;
  • Escolha da marca do material a ser usado;
  • Levantamento da utilização do equipamento;
  • Levantamento dos custos parciais dentro das alternativas de contratação (preço global, preço unitário, administração);
  • Fornecimento de instrumentos de negociação comercial; e
  • Produção de documentos para o controle de consumo de recursos humanos, materiais e equipamentos.
Observe que orçamento não é só matemática. É engenharia.

Vamos dedicar algum tempo para tratar das 3 principais fases de execução do orçamento, a saber:

  1. Contatos iniciais com profissional ou empresa construtora
Para este caso, é possível realizar uma NOÇÃO DE CUSTO, que consiste em estimar rapidamente o custo da obra, com base na área construída e no padrão de acabamento. Esta noção só se torna possível no caso de obras convencionais para as quais sejam calculados e publicados periodicamente custos unitários, como os da PINI. ou de SINDICATOS, por exemplo. É imprescindível não esquecer de acrescentar os custos de serviços não incorporados ao índice e a taxa de BDI (vamos falar deste assunto no futuro), mas considere para efeito de cálculo 30%.

Com a NOÇÃO DE CUSTO é possível:
  • projetar o custo total da obra;
  • verificar a disponibilidade de recursos para consecução da obra;
  • analisar o custo-benefício entre a construção e um eventual imóvel pronto disponível; e
  • comparar o custo obtido com o preço de venda do mercado.
Observe o que se pede:

Calcular o custo de um prédio padrão fino, com 5760 m2 de área construída, com 12 pavimentos e dois apartamentos de 3 dormitórios por andar. Para tanto, precisamos  adotar o custo unitário para prédio fino com elevador de sindicato patronal (SINDUSCON). Busque este indicador e no próximo post vamos trabalhar o assunto.   Importante prever uma movimentação de terra de 5000 m3, uma fundação com 2300 m de estacas maciças de concreto, play ground, aquecedores e 225 m2 de jardim.

Com o custo da construção em mãos, precisamos agora incluir outros custos que tiveram que ser efetuados para conclusão do edifício. São atividades anteriores ao início da obra e do controle efetuado durante a execução para obtenção do produto final projetado. Veja:











  • GERÊNCIA DE PROJETOS
          projetos
          cópias
          orçamentos
          emolumentos
          consultorias eventuais
  • SONDAGEM
  • LEVANTAMENTO TOPOGRÁFICO
  • GERÊNCIA DE SUPRIMENTOS
          planejamento e programação de compras
          licitação, editais, análise de propostas
          contratações e compras
          compra do terreno
  • GERÊNCIA DE RECURSOS
          captação de recursos
          custo financeiro
  • GERÊNCIA DA CONSTRUÇÃO
Pesquise o indicador, calcule os custos e me envie por e-mail (edvaldo_correa@pop.com.br). Você consegue!
Darei suporte até 10/novembro/2010.
Até o próximo post.



Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial