BLOG: CAIXA REGISTRA LUCRO DE R$ 812 MILHÕES NO TRIMESTRE

By | sexta-feira, maio 13, 2011 Leave a Comment

Crédito habitacional cresce mais de 50% e impulsiona o resultado do primeiro trimestre

A Caixa Econômica Federal atingiu lucro líquido de R$ 812,4 milhões no primeiro trimestre de 2011, um crescimento de 4,5% em relação ao mesmo período de 2010, quando registrou um lucro de R$ 777,5 milhões.

O resultado da CAIXA foi reflexo do bom desempenho das operações de crédito, com concessões de R$ 46,3 bilhões, e do aumento de 13,5% no número de contas correntes. As receitas de operação de crédito totalizaram R$ 6,2 bilhões e as de serviços registraram R$ 2,8 bilhões, crescimentos respectivos de 48,3% e 15,1%.

Em março deste ano, os ativos administrados da CAIXA somavam R$ 893,8 bilhões. Desses, R$ 431,4 bilhões são próprios do banco, e apresentaram evolução de 18,6% frente a igual período de 2010. Destacam-se, ainda, R$ 268,7 bilhões em FGTS e R$ 134,8 bilhões em fundos de investimento.

Com R$ 17,5 bilhões, o patrimônio líquido teve evolução de 27,2%, quando comparado ao primeiro trimestre do ano passado, e o retorno médio foi de 21,3%. Os valores dos repasses, com tributos e encargos sociais, à União, estados e municípios, somaram R$ 1,1 bilhão no trimestre.

O Patrimônio de Referência atingiu R$ 34,3 bilhões, com evolução de 14,3%, o que permite à CAIXA manter sua expansão na oferta de crédito. O índice de Basiléia, no trimestre, foi de 15,2%, superior ao mínimo de 11% exigido pelo Banco Central do Brasil.

Captações
Os depósitos apresentaram saldo de R$ 227,7 bilhões, com evolução de 19,4% em relação aos três primeiros meses de 2010. Os depósitos à vista aumentaram 12,9%, com saldo de R$ 20 bilhões e cerca de 17 milhões de contas correntes, entre pessoas físicas e jurídicas. Na poupança, a CAIXA teve captação líquida de R$ 965,5 milhões e superou o número de 41 milhões de contas, mantendo-se líder no segmento, com 34,4% de participação no mercado. No trimestre, o saldo da poupança alcançou R$ 132,6 bilhões, o que representa um crescimento de 19,1% ante 16,5% do mercado.

Os depósitos a prazo encerraram o mês de março com saldo de R$ 60,1 bilhões. As letras imobiliárias e financeiras, outra importante fonte de recursos para a CAIXA, atingiram saldo de R$ 13,1 bilhões.

O patrimônio líquido total, dos fundos de investimentos administrados pela CAIXA, considerando os fundos de rede e exclusivos, apresentou aumento de 23%, passando de R$ 109,6 bilhões, em março de 2010, para R$ 134,8 bilhões nos três primeiros meses de 2011.

Crédito
Em 12 meses, as operações de crédito da CAIXA cresceram 41,5%, mais que o dobro em relação ao mercado (20,7%), totalizando R$ 190,5 bilhões. Tal expansão foi bastante influenciada pelo crédito imobiliário, que é responsável, atualmente, por 61,5% das operações. As provisões constituídas para crédito de liquidação duvidosa representavam 6,4% da carteira e cobriam quase três vezes o saldo inadimplente.

As operações comerciais alcançaram R$ 60,8 bilhões, um aumento de 28,5% em comparação a março de 2010. O segmento de pessoas jurídicas obteve saldo de R$ 32,7 bilhões, e o de pessoas físicas, R$ 28,1 bilhões, crescimentos de 33,9% e 22,7%, respectivamente, em relação ao primeiro trimestre do ano anterior.

Mais de 90% da carteira estão concentrados nos ratings de AA até C, e a inadimplência total (atrasos superiores a 90 dias) do crédito, na CAIXA, manteve-se estável na faixa de 2%, durante o primeiro trimestre de 2011.

Habitação
De janeiro a março de 2011, a CAIXA aplicou R$ 14,5 bilhões em habitação, registrando saldo de R$ 117,1 bilhões, evolução de 50,5% em relação ao primeiro trimestre de 2010, o que representa 75,8% do mercado de crédito imobiliário.

Do valor total de financiamentos, R$ 7,8 bilhões foram realizados com recursos da poupança (SBPE), responsáveis por 44,7 mil unidades habitacionais, e R$ 5,2 bilhões, com linhas que utilizam o FGTS, que totalizaram 75 mil moradias. Além disso, foi destinado R$ 1,2 bilhão para subsídios e R$ 188,9 milhões para consórcio e arrendamentos residenciais.

Das unidades financiadas até março, desconsiderados os consórcios, 41% foram destinadas a pessoas na faixa de renda de até seis salários mínimos, onde se encontra o maior déficit habitacional.

Até 7 de maio de 2011, a CAIXA destinou R$ 6,6 bilhões ao Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV), beneficiando mais de 360 mil pessoas e financiando, aproximadamente, 90 mil novas moradias.

Rede de Atendimento
Para atender aos seus 53,8 milhões de clientes, bem como aos cidadãos em geral, a CAIXA conta com uma rede de 41,5 mil unidades de atendimento, que realizam transações bancárias, pagamentos de benefícios e oferecem serviços à população. São 7,2 mil unidades próprias, entre agências, postos e salas de autoatendimento e 10,8 mil correspondentes lotéricos.

Como forma de propiciar atendimento à população ribeirinha, no Amazonas, a Agência Barco Chico Mendes, inaugurada no fim de 2010, fez sua primeira viagem em janeiro, com objetivo de percorrer 9 municípios às margens do Rio Solimões. De janeiro a março, a agência já realizou cerca de 5.300 atendimentos.

No trimestre, 1,1 bilhão de transações bancárias foram realizadas nos diversos pontos de atendimento da CAIXA. Somente no internet banking (IBC), foram realizadas mais de 148,5 milhões de transações, com crescimento de 37,7% em relação ao primeiro trimestre do ano passado.

Para o registro de reclamações, sugestões ou elogios, a CAIXA disponibiliza o Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) que, no primeiro trimestre de 2011, prestou cerca de 12 milhões de atendimentos, via operador de telesserviços. Vale destacar que as reclamações representaram apenas 0,4% do total de atendimentos. O canal também oferece suporte tecnológico às prefeituras, empresas e pessoas físicas, com cerca de um milhão de ligações no mesmo período.

Em março de 2011, o Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça apresentou seu ranking anual, no qual a CAIXA não aparece na listagem principal dos 30 fornecedores mais reclamados. Já no ranking publicado pela Fundação PROCON-SP, também em março, a CAIXA ficou na 30ª colocação, na classificação geral dos fornecedores mais reclamados, o que representa a melhor colocação do banco, desde a criação desse ranking.

Premiações e Reconhecimentos
Em pesquisa realizada pela BrandFinance, sobre o valor das marcas de estatais brasileiras, a CAIXA está em 3º lugar no ranking, alcançando R$ 7,1 bilhões. Apenas entre 2008 e 2009, o valor da marca do banco cresceu 74%.

A CAIXA conquistou o Prêmio Colunistas Propaganda Brasil 2010 na categoria Peça Publicitária Relativa a Datas Promocionais’ com o filme ‘Semblantes’, alusivo ao dias das mães. O Prêmio Colunistas é o mais tradicional prêmio da publicidade brasileira.


Fonte: Assessoria de Imprensa da CAIXA - www.caixa.gov.br

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial