Blog: Principais bras do PAC em andamento pelo Governo Federal e parceiros

By | terça-feira, junho 14, 2011 Leave a Comment

Recentemente precisei fazer uma grande busca das obras em andamento no Brasil, tanto privadas como públicas, para um grande cliente internacional. Compartilho com vocês um recorte do PAC - Programa de Aceleração do Crescimento, que é um dos principais programas do governo federal e tem como objetivo a expansão do investimento em infraestrutura, visando à aceleração do desenvolvimento sustentável, aumento da produtividade e superação dos desequilíbrios regionais e das desigualdades sociais. 

Foi baseado no relatório de gestão do governo federal. Constam as principais obras rodoviárias, de saneamento, habitacionais e ferrovias, que estão em execução ou com previsão de implantação.

Os aeroportos e obras de energia não foram relacionadas, mas faço um comentário sobre o assunto no final do post.

Segue:


Habitação
Nome
Investimento (R$ x 1.000.000)
Local/Estado
% Executado
Billings (urbanização de favelas, sistema de esgoto e recuperação ambiental)
873,8
Guarapiranga-São Paulo
46%
Complexo do Alemão (urbanização de favelas, teleférico, integração transporte,etc)
825,9
Rio de Janeiro-RJ
76%
Bacia do Beberibe (urbanização e construção)
527,0
Recife e Olinda - Pernambuco
15%
Ribeirão Arrudas (requalificação urbana e ambiental, construções)
274,0
Belo Horizonte e Contagem - Minas Gerais
50%
Rocinha (1ª e 2ª etapas de urbanização, recuperação ambiental e construção)
267,4
Rio de Janeiro-RJ
71%
Heliópolis (urbanização da favela, geotecnia e recuperação ambiental)
203,0
São Paulo - SP
47,0%
Pedreira Prado Lopes (urbanização e construção)
162,3
Belo Horizonte - MG
62%
Terracap
73,6
Brasília-DF
35%
Vilas Dique e Nazaré (aquisição de áreas, obras de infraestrutura)
200,0
Porto Alegre - RS
36%
Vale do Reginaldo (remoção de palafitas e construção)
154,0
Maceió - AL
10%
Guarituba (urbanização e construção)
98,0
Piraquara - PR
15%
Vila do Mar (urbanização e construção)
113,5
Fortaleza - CE
17%
Paraisópolis (urbanização e equipamentos)
320,0
São Paulo - SP
50%

Rodovias (pós 2010)
Nome
Investimento (R$ x 1.000.000)
Local/Estado
BR-365
280,5
Minas Gerais
Arco Rodoviário
639,0
Rio de Janeiro
BR-101
363,8
Pernambuco
BR-163
1.700
Pará e Mato Grosso
Concessões Rodoviárias (3ª etapa – fase 1)
6.500

BR-319
439,1
Amazonas
BR-101
1.032
Santa Catarina

Ferrovias (pós 2010)
Nome
Investimento (R$ x 1.000.000)
Local/Estado
Ferrovia Norte-Sul
2.800
Multi-regional
Nova Transnordestina
3.250
Multi-regional
Trem de Alta Velocidade
33.100
Rio de Janeiro-São Paulo - Campinas
Ferrovia de Integração Oeste-Leste
4.400
Multi-regional
Extensão da Ferronorte
486,5
Rondópolis a Alto Araguaia- MT

Saneamento
Nome
Investimento (R$ x 1.000.000)
Local/Estado
% Executado
Esgotamento Sanitário
901,0
Baixada Santista
77%
Despoluição dos Vales dos Rios Sinos, Guaíba e Gravataí
1.400
Rio Grande do Sul
25%
Complexo de Manguinho
662,2
Rio de Janeiro-RJ
51%
Esgotamento Sanitário na Região Metropolitana de Belo Horizonte
611,8
Belo Horizonte - MG
51%
Despoluição da Baía de Todos os Santos
611,8
Salvador - BA
78%
Esgotamento Sanitário em Guarulhos
358,0
Guarulhos - SP
50%
Abastecimento de Água de Manaus
342,6
Manaus- AM
90%
Drenagem Urbana na Baixada Fluminense
293,9
Rio de Janeiro - RJ
60%
Abastecimento de Água em Salvador
83,7
Salvador - BA
62%
Saneamento Campinas
77,2
Campinas - SP
60%
Esgotamento Sanitário em Corumbá
55,5
Corumbá - MS
53%
Esgotamento Sanitário em Rio Branco
220,0
Rio Branco - AC
37%
Abastecimento de Água em João Pessoa
84,9
João Pessoa - PB
72%
Abastecimento de Água no DF e Entorno Sistema Corumbá Sul
610,0
Distrito Federal e Goiás
11%
Esgotamento Sanitário Fortaleza
400,0
Fortaleza - CE
16%
Urbanização do Igarapé do Mindu
201,0
Amazonas
4%
Esgotamento Sanitário Aracaju e Barra dos Coqueiros
84,8
Sergipe
28%
Saneamento Integrado Ananindeua
74,3
Ananindeua - PA
18%
Esgotamento Sanitário Porto Velho
1.200
Porto Velho - RO
3%

Complemento, informando que este ano foi divulgado um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) que demonstrou que grande parte dos aeroportos que receberão investimentos em ampliação e reformas para a Copa do Mundo não ficará pronta a tempo para o evento esportivo. Não relacionei estas obras. Mas, de acordo com o levantamento do órgão, as obras de pelo menos 8 dos 13 aeroportos que receberão recursos não estarão terminadas em 2014. Este estudo leva em conta os prazos médios no Brasil para a elaboração de projetos, emissão de licenças de instalação pelo Ibama para obras de infraestrutura, processos licitatórios e obras civis.


A FIFA, em relatórios periódicos, aponta que o maior gargalo para a realização do evento esportivo está justamente nas obras dos aeroportos. A INFRAERO investirá R$ 1,4 bilhão ao ano entre 2011 e 2014 em 13 aeroportos, nas cidades-sede do evento. A presidente Dilma Roussef criou uma Secretaria Especial – a de Aviação Civil, para tratar deste assunto.

Outro relatório, mas da ANEEL, comenta que 70% das hidrelétricas em construção no Brasil estão atrasadas. A maioria em regime de concessão. O documento aponta que 19 dos 27 empreendimentos em fase de implantação sofreram entrave nas obras por conta da questão ambiental. A maioria das usinas encontra-se em processo de licenciamento ambiental travado junto aos órgãos ambientais estaduais ou federais. Um bom exemplo é a hidrelétrica de Belo Monte, uma das usinas que ainda depende de licença definitiva para iniciar efetivamente sua implantação. O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama), órgão licenciador da usina do Rio Xingu, não informa com que data trabalha para a liberação da licença e disse estar "em fase de análise" do processo. 
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial
Postar um comentário

Comente com sua conta do Facebook