Pesquisa da Ademi/PR revela que imóveis novos em Curitiba valorizaram 7,1% em 2014

By | quinta-feira, fevereiro 12, 2015 Leave a Comment
O preço médio do metro quadrado privativo fechou o ano em R$ 6.193,00 na capital paranaense. Em dezembro, volume de unidades em estoque atingiu o menor índice de 2014.
Os apartamentos residenciais novos em Curitiba fecharam o ano de 2014 com valorização média de 7,1%, com preço médio do metro quadrado privativo a R$ 6.193,00. Os dados são do último levantamento realizado pela Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi/PR), em parceria com a BRAIN Bureau de Inteligência Corporativa, com base em dezembro. Considerando o mesmo período, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) foi de 6,4%.

No período, a maior variação foi para os apartamentos de quatro dormitórios, de 11,3%, com preço médio do metro quadrado privativo a R$ 8.570,00. Na sequência, apareceram os apartamentos de dois dormitórios, com correção de 6,9% e metro quadrado privativo médio de R$ 5.680,00. Os studio, lofts e apartamentos de um dormitório foram reajustados em 6,1%, com metro quadrado privativo médio a R$ 6.886,00, seguidos pelos apartamentos de três dormitórios, tipologia que teve variação de 5,7% com preço médio do metro quadrado privativo a R$ 6.016,00.

“Os dados revelam a mudança de estratégia das construtoras e incorporadoras que, em virtude da dificuldade para a viabilização de empreendimentos econômicos em Curitiba pelo aumento dos custos dos terrenos e insumos, optaram por investir nos segmentos de alto padrão e luxo. A pesquisa põe em relevo dois comportamentos de consumo bastante significativos no ano passado, que foram a aquisição do primeiro imóvel, que tem o apartamento de dois dormitórios como produto de entrada, e a compra para upgrade, ou seja, a mudança para um imóvel maior ou mais bem localizado, características associadas aos apartamentos de quatro dormitórios”, analisa a presidente da Ademi/PR, Aline Perussolo Soares.

Na variação mensal, tendo dezembro como mês de referência, o preço médio do metro quadrado privativo dos apartamentos residenciais novos em Curitiba ficou estável, na média geral e para os apartamentos de dois e três dormitórios. Os studios, lofts e apartamentos de um dormitório tiveram um ajuste no preço de venda. Já os apartamentos de quatro dormitórios apresentaram correção de 0,7%.

“A se considerar que a maior disponibilidade de unidades à venda concentra-se justamente nos imóveis compactos, essa adequação dos valores para a tipologia é coerente. Em contrapartida, os segmentos de alto padrão e luxo são os que contam com o menor número de oferta e disponibilidade de unidades, elevando o preço de mercado dessas unidades. Nas demais tipologias, a relação entre oferta e demanda está mais equalizada”, explica o diretor de Pesquisa de Mercado da Ademi/PR, Fábio Tadeu Araújo.

Considerando o valor dos imóveis novos disponíveis para a venda em Curitiba, para o mês de referência, o Batel desbancou o Campina do Siqueira para o maior valor do metro quadrado privativo para studios, lofts e apartamentos de um dormitório, na média de R$ 9.760,00. O bairro também detém o maior valor do metro quadrado privativo para os apartamentos residenciais novos de dois e três dormitórios, com média de R$ 11.920,00 e de R$ 9.499,00, respectivamente. Em relação aos apartamentos de quatro dormitórios, o Alto da XV permanece na liderança com o maior preço médio do metro quadrado privativo para a tipologia, a R$ 10.359,00, em média.

Estoque – A pesquisa da Ademi/PR mostra ainda que o número de apartamentos residenciais novos em estoque na capital paranaense atingiu, em dezembro, o menor volume de 2014, com 10.850 unidades (contra 11.168 em novembro). A disponibilidade – índice que se refere ao percentual resultante da relação entre as unidades em estoque e o total de unidades ofertadas - ficou em 29,5%, menor percentual do ano. A oferta de imóveis novos em dezembro apresentou uma leve queda, com 36.735 unidades, contra as 37.108 unidades colocadas no mercado pelas construtoras e incorporadoras em novembro, mas manteve-se na média do ano.

“Os dados compilados demonstram que, no ano passado, as empresas da construção civil focaram na venda de suas unidades em estoque. Além disso, fornece indícios de que o mercado continua comprador, embora o tempo de fechamento de negócio seja mais longo por conta da diversidade de empreendimentos em oferta. Estimamos que esse tempo médio seja de 60 a 90 dias. Ainda, em função de um ano com Carnaval tardio, Copa do Mundo e eleições, muitas empresas optaram por adiar seus lançamentos. Acreditamos que esses imóveis sejam colocados no mercado em 2015”, prevê a presidente da Ademi/PR, Aline Perussolo Soares.

O levantamento da Ademi/PR e da BRAIN Bureau de Inteligência Corporativa, em dezembro, contou com uma amostra de 347 empreendimentos e 10.850 apartamentos residenciais novos (na planta, em construção ou concluídos), à venda por construtoras, incorporadoras e imobiliárias, em Curitiba.


Aline Perussolo Soares - Presidente da ADEMI/PR

Fonte: contato@memilia.com 
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial
Postar um comentário

Comente com sua conta do Facebook