Quatro dicas para quem deseja morar sozinho

By | quinta-feira, junho 25, 2015 Leave a Comment

Chega uma fase da vida em que a ideia de morar sozinho se torna algo forte em nossas cabeças, principalmente, quando há interesses que não são mais compatíveis com a realidade vivida na casa dos pais. Porém, muitas pessoas acabam não fazendo essa escolha por alguma insegurança, ou acabam partindo para essa experiência sem um planejamento prévio, o que resulta num fracasso e na volta para a casa dos pais.


Nenhuma das duas opções citadas é motivo de vergonha, pois fazem parte do aprendizado e amadurecimento de qualquer ser humano. Porém, se você possui esse desejo e gostaria de realizá-lo da forma mais consciente e segura, nós reservamos aqui algumas dicas de ouro para você acertar em cheio o momento certo e como fazer essa transição. Vamos lá!

1 – Planeje o seu orçamento

A sua primeira tarefa é fazer um levantamento do seu orçamento mensal. Tudo aquilo que você ganha deverá ser incluído numa lista de contas que você terá em sua futura casa. Coloque nessa planilha, inclusive, o dinheiro que, por ventura, você receberá caso seus pais possam te ajudar. Com esse valor levantado, comece a somar os custos fixos que você terá todo mês para que seja possível visualizar as suas contas mensais. Os gastos fixos mais frequentes são: moradia (aluguel ou financiamento), energia, luz, internet, telefone e alimentação. Tenha muito cuidado para que você não extrapole seus custos, pois, isso pode acarretar numa bola de neve de contas a pagar.

2 – Escolha o Imóvel Certo

Quando você for planejar o local para morar, existem diversos fatores que devem ser levados em consideração. Primeiramente, você precisa conhecer as opções que você tem e que são mais apropriadas para a condição de quem mora sozinho. Elas são basicamente duas: casas térreas ou apartamentos. Cada uma dessas opções tem suas vantagens (de acordo com a característica do futuro morador).

Os apartamentos, por exemplo, costumam ser locais mais seguros, porém são mais restritos quanto ao barulho (caso você seja músico) ou com os animais de estimação. Caso você passe a maior parte do dia na rua e não possui nenhum gosto mais especial pela música alta, o apartamento é recomendado. Agora, se você curte uma festinha com amigos, ou não abre mão dos seus animais de estimação, a casa térrea é o lugar mais indicado.

Porém, numa casa, você terá que ficar atento com alguns detalhes, por exemplo:

- Segurança;
- Organização do quintal;
- Otimização dos espaços.

Uma casa costuma ser grande e requer cuidados rígidos para que não fique inabitável. A limpeza e conservação devem ser constantes e a forma como você utiliza os cômodos vai ser fundamental para garantir a harmonia da casa. Caso você seja uma pessoa que tenha problemas com organização e se comporta melhor em pequenos ambientes, o apartamento é a melhor escolha.

Porém, num apartamento, você deverá ficar atento aos seguintes detalhes:
- Cuidado com barulhos excessivos e fora de hora;
- Controle mais rígido de entrada e saída de visitantes;
- Taxas de condomínio;
- Menos privacidade.

Sobre os valores a serem pagos, você encontrará grandes variações. Tudo depende do estado do imóvel e também da localização; por isso, se você tem um valor bem definido para o aluguel do imóvel, você pode entrar em contato com uma das imobiliárias em Curitiba e perguntar sobre os possíveis imóveis com valores aproximados ao que você tem para investir.

3 – Seja organizado

Ao morar sozinho é muito importante aprender a ser organizado, principalmente com o ambiente. Lembre-se que você não terá ninguém que faça os serviços da casa por você (a não ser que você contrate uma empregada doméstica). Se você relaxar, não demorará para que você se veja em meio a um mar de roupas e louças sujas – dando a sua casa um aspecto não muito agradável. Por esse motivo, criar uma rotina de organização e criar algumas regras pessoais é uma das formas mais fáceis de se adaptar a morar sozinho, por exemplo, lavar a louça sempre depois de terminar de cozinhar evita o acumulo de sujeira na pia, e tirar o lixo pra fora toda todos os dias também é uma rotina que evita um péssimo cheiro na casa.

4 – Alimente-se bem

Muitas pessoas quando vão morar sozinhas acabam ficando doente logo nos primeiros meses, isso acontece porque a alimentação é totalmente prejudicada, pois a inexperiência faz com que os congelados e fast-foods entrem na vida e virem uma rotina (rotina essa que é péssima!). Para evitar problemas, aprenda a cozinhar e não tema arriscar novos pratos e sabores. Criar um cardápio semanal é uma ótima forma para organizar uma rotina – seja ela de supermercado ou de “pilotagem de fogão”. 

5 - Aprenda a poupar dinheiro

Mesmo que você esteja estável financeiramente, é preciso ter noção de que podem acontecer imprevistos, por isso, é muito importante reservar uma quantia todo mês e não sair gastando todo o seu dinheiro. Uma boa dica é reservar 10% do salário para essa reserva, e se caso ele não for utilizado, você pode ir acumulando o dinheiro para que em algum momento você possa investir em algo maior, uma viagem, um carro novo ou até mesmo a aquisição de um imóvel (caso você more de aluguel).

Essas são algumas dicas de como você deve agir quando desejar morar sozinho, se você conseguir seguir todas elas, ou boa parte,certamente sua mudança não será tão difícil e você será muito feliz e realizado.

Texto: Joana Marques
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial