Incorporadoras voltam a lançar e venda de imóveis na planta cresce 25% em Curitiba, no primeiro trimestre

By | quinta-feira, junho 08, 2017 Leave a Comment


O mercado imobiliário de Curitiba registrou crescimento no lançamento de empreendimentos e unidades residenciais no primeiro trimestre desse ano, em relação ao mesmo período do ano passado. Segundo os dados da última pesquisa da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi/PR), em parceria com a BRAIN Bureau de Inteligência Corporativa, de janeiro a março, foram 10 empreendimentos residenciais e 554 unidades novas colocadas no mercado, contra 8 empreendimentos e 246 unidades lançadas no mesmo período de 2016.

Os novos empreendimentos concentraram-se nos extremos: nos padrões supereconômico e econômico (com preço até R$ 250 mil) e de luxo (com preço de R$ 1.000.001,00 a R$ 2 milhões). “Apesar da redução da taxa de juros e do controle da inflação, nesse primeiro trimestre, as empresas mantiveram a estratégia usada no ano anterior, que foi a de optar por lançamentos em segmentos com oferta de crédito mais fluida ou naqueles independentes desse recurso para aquisição do imóvel. As empresas locais responderam pela maior fatia dos lançamentos”, explica o presidente da Ademi/PR, Jacirlei Soares Santos.

O dirigente afirma que, apesar de poucos, os lançamentos realizados foram bem-sucedidos, pois, o volume de imóveis vendidos na planta teve alta de 25,6% no primeiro trimestre desse ano na comparação com o primeiro trimestre de 2016, passando de 125 para 157 imóveis comercializados na planta em Curitiba. “Já em função da queda do estoque, o volume de vendas dos imóveis residenciais prontos foi menor no primeiro trimestre desse ano em comparação com o mesmo período do ano passado, passando de 478 para 313 unidades”, ressalta Soares.

A pesquisa revelou ainda queda de 16,2% no volume de apartamentos residenciais em estoque em Curitiba em março de 2017, em relação ao mesmo período do ano passado, baixando de 9.087 para 7.606 imóveis. As reduções mais significativas foram para os imóveis com preço de R$ 215 mil a R$ 700 mil, com diminuição média de 20% das unidades disponíveis.

“Além da brusca diminuição da oferta lançada, o motivo da forte baixa nesses padrões foram as campanhas promocionais realizadas pelas construtoras e incorporadoras em termos de preço e flexibilidade de pagamento, o que motivou as aquisições. Esse estoque é saudável e natural para um mercado de dois milhões de habitantes, como Curitiba”, explica o diretor de Relações Institucionais da Ademi/PR, Marcelo Gonçalves.

Preços - Ainda nos últimos 12 meses, o preço médio do metro quadrado privativo dos apartamentos residenciais novos em Curitiba acumulou correção de 6,3%, chegando a R$ 6.961,40, acima do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) que fechou o período em 4,5%, com ganho real. Os apartamentos com três dormitórios apresentaram a maior variação no período, de 8,3%, com média do metro quadrado privativo a R$ 6.911,00.

Na análise por bairro para março desse ano, o Batel continua a deter o maior valor do metro quadrado privativo para todas as tipologias com metro quadrado privativo médio entre R$ 10.794,00 e R$ 13.729,00, respectivamente. A pesquisa da Ademi/PR e da BRAIN, no primeiro trimestre do ano, contou com uma oferta lançada acumulada de 385 empreendimentos residenciais novos (na planta, em construção ou concluídos) de construtoras, incorporadoras e imobiliárias em Curitiba, coletados diretamente junto às empresas do setor.

Fonte: contato@memilia.com
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial