12 de junho de 2020

AS ATITUDES CORAJOSAS NA LIDERANÇA DE NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS

Em um campeonato de golf, um jogador iniciante, mas muito talentoso disputava com os melhores do mundo e precisava fazer algo diferente para ter alguma chance. A técnica ele já tinha, porém lhe faltava a confiança e a interpretação das jogadas. Seu caddie (carregador de tacos) que também fazia um papel de mentor, em uma das jogadas o provocou para que visualizasse o campo não só pela sua distância até a bandeirinha vermelha onde estava o buraco almejado, mas como o seu principal concorrente fazia: olhando o campo, concentrado, antevendo a jogada e escolhendo a tacada perfeita e única que estaria em perfeita harmonia com aquele momento, todavia era a tacada que o escolhia.*

Se cada campeonato há um campo diferente e se considerarmos que o campo é o mercado imobiliário, teremos sempre que lidar com novos e inesperados desafios, afinal, cada vez mais o mercado muda com rapidez e os líderes têm uma enorme responsabilidade de assumir posições, fazerem escolhas e darem o seu máximo. Sempre haverá uma tacada perfeita para cada momento e a cada dia também haverão novas técnicas e novos campos que certamente serão superados pelas lideranças que estiverem amparadas por uma equipe qualificada, alinhada e comprometida de que esses desafios fazem parte do jogo.



Em tempos de grandes incertezas se espera mais das lideranças; que ele seja capaz de antecipar, dirigir, acelerar, fazer parcerias e confiar. Pesquisas recentes do Instituto Korn Ferry sobre o tema, com mais de 1000 empresas em 12 países evidenciam a importância do líder que assume riscos, engaja seus liderados e ajuda a organização a inovar e buscar novas oportunidades de negócios. Do ponto de vista financeiro os mesmos estudos demonstram que menos de 20% das organizações estão confiantes que os líderes cumpram as prioridades estratégicas definidas. 

Fatores-chave como transparência, criatividade, infalibilidade, adaptabilidade, ética, intuição e resiliência passam a ser imprescindíveis nos negócios. Entretanto, as exigências vão além. Torna-se evidente a necessidade de formar líderes que inspirem e formem novos líderes, na busca de desenvolver processos e modelos de negócios alinhados com a construção de uma nova sociedade mais integrada. 

Dentre dez habilidades previstas em 2020 para as lideranças, destacamos cinco muito importantes ao gestor que quiser compreender como inspirar todos que compõem sua força de trabalho diversificada. 

São elas:

Alfabetização de dados - As empresas do segmento imobiliário que não usam algoritmos, ficarão ou já ficaram para trás. As organizações devem contratar líderes com qualificação na área. Cargo como “cientista de dados” trabalhando em uma incorporadora ou imobiliária não é nenhuma novidade.

Inteligência cultural e diversidade - As organizações são cada vez mais diversas e os líderes mais eficazes devem respeitar essas diferenças e trabalhar com pessoas de diferentes raças, credos, gerações, orientação sexual e crenças políticas. É fundamental ainda que o líder estimule seus times a conhecer outras culturas e idiomas, visto que empresas tendem a se tornar plataformas híbridas de atendimento rompendo fronteiras físicas regionais através da tecnologia e digitalização de seus serviços e produtos.

Adaptação e flexibilidade – A mudança tornou-se parte da operação diária, sendo elemento constante nas transformações dos processos e negócios. Os gestores precisam se comprometer a aprender novas habilidades, sendo flexíveis a novas idéias e maneiras de solucionar os problemas complexos da empresa.

Inteligência emocional - A capacidade do líder estar ciente, controlar e expressar suas emoções será cada vez mais importante e valorizada no ambiente empresarial. O exercício da empatia pessoal ainda sobrepõe a relação técnica racional do robô. A tecnologia ainda não consegue estimular essa habilidade comportamental humana.

Julgamento e tomada de decisão - As máquinas conseguem analisar os algoritmos numa velocidade superior a que nós humanos conseguimos, porém são incapazes de tomar decisões e analisar os dados com profundidade. Por isso, os gestores capazes de fazer a leitura dessas informações para uma tomada de decisão eficaz serão muito valorizados no mercado. 

O futuro sempre foi e será incerto e a dinâmica dos negócios atuais possui uma velocidade de difícil domínio, então nos resta manter o radar ligado, observar, conhecer, testar, aprender e corrigir com rapidez, afinal a maior competência dos grandes líderes sempre foi e será sua intuição e coragem de agir baseado na sua interpretação de dados, cenários, estudos, experiências e riscos calculados.

Texto desenvolvido por Daniel Rosenthal (Plataforma Corretor Global), Edvaldo Corrêa (Head de Novos Negócios B2B da Tecverde) e Telmo Bauler (Bauler Assessoria Organizacional).

Referências bibliográficas: 
  • The 10 skills you need to thrive in the Fourth Industrial Revolution, 2016
  • Global and Regional Real World Leadership Report - Korn Ferry, 2015

Toronto Terá Edifício Residencial Mais Alto do Canadá

Herzog & de Meuron e a Quadrangle projetaram um arranha-céu em Toronto. Se construído, o edifício terá 324 metros de altura e se tornará o edifício residencial mais alto do Canadá.

Divulgação

Divulgação

A torre será construída na esquina das ruas Bloor e Bay, no bairro de Yorkville. A cobertura será ocupada por um lounge e restaurante com vista para a cidade.



A torre terá 16 andares dedicados a escritórios e estabelecimentos comerciais e 64 andares residenciais com unidades de dimensões variadas.

Mais informações em : https://www.herzogdemeuron.com/index.html





9 de junho de 2020

Setor imobiliário quer reabertura de estandes para venda de unidades

Divulgação

O setor imobiliário quer reabertura de estandes, para a retomada das vendas após retorno gradual de parte das atividades econômicas em diversos estados do Brasil.

Após um bom desempenho no primeiro trimestre, a pandemia da Covid-19 não paralisou os canteiros de obras, mas derrubou os negócios e os lançamentos do setor, explica o presidente da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), Luiz França.

“Nós temos 94% das nossas obras operando com protocolos rígidos em termos de saúde, inclusive temos uma pesquisa que mostra que de 55 mil operários tivemos 0,01% de mortes por Covid-19. O que falta para o setor é termos operando os estantes de vendas, é fundamental que estejam abertos para que nós possamos vender os produtos. Nós estamos investindo muito, estamos gastando dinheiro, mantendo empregos e agora precisamos vender.”

O setor aguarda aval da prefeitura de São Paulo para a reabertura dos pontos de vendas de imóveis. O mercado de baixa renda, Minha Casa Minha Vida, mantém bom desempenho na crise, diferente dos resultados no médio e alto padrão.

Fonte: Jovem Pan

4 de maio de 2020

Campanha Vem Morar (CBIC, ABRAINC e CAIXA)


A Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) e a Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (ABRAINC), em ação conjunta, mobiliza suas entidades e empresas associadas para realizar a campanha Vem Morar. Destinada a potencializar o efeito virtuoso das medidas de estímulo ao mercado imobiliário anunciadas pela Caixa Econômica Federal para a manutenção e geração de novos empregos durante a pandemia pelo novo coronavírus, a iniciativa visa garantir a oferta de benefícios ao comprador na comercialização de imóveis pelas empresas do setor.

A campanha Vem Morar é uma parceria do setor da construção com a Caixa, com duração de 60 dias, que contempla todos os segmentos imobiliários. A iniciativa prevê benefícios oferecidos pelo incorporador/vendedor ao cliente a partir de 3 mil reais sobre o valor do imóvel e, além disso, a Caixa concederá carência de 6 meses para pagamento de financiamentos. Para fortalecer a ação do setor, a Caixa autorizou o uso de sua logomarca nos materiais de divulgação.

Como participar:

A CBIC e a ABRAINC auxiliarão seus associados, cedendo as peças promocionais pré-aprovadas para serem customizadas com a aplicação da logomarca de cada empresa. IMPORTANTE: a empresa participante deverá seguir as orientações do uso da marca contidas no Manual da Campanha).

Para aderir, e consequentemente usar a logomarca da Caixa, a empresa deve cumprir o conjunto de premissas e procedimentos estabelecidos pelo banco, listados a seguir:
Estarão aptas a utilizar a marca da Caixa na divulgação, as construtoras e incorporadoras que gozem de credibilidade e idoneidade comercial, legal e fiscal; que não apresentem impedimentos jurídicos junto à Caixa e que cumpram os seguintes requisitos:
a) Ter negócios vigentes com a Caixa;
b) Estar adimplente em suas obrigações contratuais;
c) Não estar movendo ação judicial em desfavor da Caixa;

O uso da marca será autorizado exclusivamente para promover e divulgar as condições especiais de comercialização de unidades habitacionais adotadas pela empresa, para enfrentar as consequências da pandemia.
a) Essa concessão será garantida por 60 dias, mesmo período das condições especiais divulgadas, prorrogáveis caso o pacote seja estendido pelo agente financeiro e pelo mesmo prazo.

A construtora que atenda aos requisitos exigidos deverá apresentar a Gerência Executiva de Habitação (GIHAB) de seu relacionamento duas vias assinadas do Termo de Licença de Uso da Marca Caixa e/ou Termo de Licença de Uso da Marca Caixa na Internet (baixe aqui), conforme interesse, juntamente com a peça publicitária que será divulgada;
a) De posse desse material a GIHAB, no prazo máximo de 1 dia, analisará se a construtora atende aos requisitos e se a peça publicitária está vinculada a divulgação das condições especiais;
b) Em caso positivo, a GIHAB devolverá 1 via do termo devidamente assinada, o que permitirá a utilização da marca Caixa, observando os modelos ora divulgados, bem como as instruções do Manual de identidade Visual Caixa.

A campanha Vem Morar é estratégica para a indústria da construção. Mais que manter os empregos, garantindo proteção e renda ao trabalhador, será vetor para construirmos a base para uma retomada mais rápida e robusta após a reversão da pandemia. Assim como o governo federal, e seus agentes, está atuando para preservar postos de trabalho e buscar uma saída para a crise, cabe ao setor produtivo dar sua contribuição nesse esforço.

A indústria da construção, e nela o mercado imobiliário, terá papel decisivo nessa jornada.

Vamos ao trabalho!


3 de abril de 2020

Proposta de Nova Linha de Financiamento da Compra de Imóveis é Levada ao Banco Central


Empresários da construção levaram ao Banco Central (BC) a proposta de criação de uma nova linha de financiamento da compra de imóveis, com a taxa de juros atrelada à remuneração da caderneta de poupança e abaixo da média de mercado. A proposta é de autoria da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) e prevê que seria possível oferecer aos consumidores uma taxa de juros em torno de 5% ao ano, patamar inferior à média de 7,5% ao ano praticado nas linhas com recursos captados na poupança – principal fonte de onde os bancos tiram dinheiro para financiar a compra de casas. 


Saiba mais em: https://lnkd.in/dYcd3uv

Construção do Hospital M’Boi Mirim é destaque na Folha de São Paulo



Em uma parceria inédita entre Tecverde e a Brasil ao Cubo (BR3), a cidade de São Paulo receberá um hospital permanente, construído com a tecnologia modular para atender aos casos de COVID-19 exclusivamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Esta iniciativa foi destaque na coluna de Elio Gaspari, para a Folha de São Paulo, no dia 29/03/2020, publicada na edição impressa e online do Jornal. Para ele, ações como esta podem parecer com uma gota de água, mas como dizia Madre Tereza de Calcutá, “toda vez que ponho minha gota no oceano ele fica maior”.

A obra será viabilizada pela Ambev, Gerdau e Hospital Israelita Albert Einstein, que farão a doação deste centro de saúde para a cidade. Um total de 100 leitos comuns serão entregues até 30 de abril, sendo que os primeiros 40 devem estar operantes em até 20 dias do início da obra. O hospital ficará anexo ao M’boi Mirim, na zona sul do município. A Gerdau doará o aço, a Ambev arcará com os demais custos e os pacientes são assistidos pela equipe do Albert Einstein.

O colunista ainda salientou outras ações que estão sendo importantes neste período de crise, entre elas a fabricação e doação de álcool em gel pela própria Ambev; a escola Miguel de Cervantes nas proximidades do Einstein que abriu 300 vagas para que os filhos dos funcionários do hospital tivessem um local adequado para ficar enquanto os pais trabalham; a rede manauara de lojas Bemol doou ao governo do estado um estoque de mil colchões e máscaras; e no Rio de Janeiro, onde pizzarias estão enviando refeições para profissionais da saúde, que chegam a trabalhar 24h por dia.

“Um dia isto tudo terá passado e uma pergunta haverá de alegrar muita gente, encabulando outros: o que você fez durante a pandemia de COVID-19?”, finaliza Gaspari.


Confiram acessando aqui!

3 de março de 2020

DESAPEGA: OLX ANUNCIA COMPRA DO GRUPO ZAP

A OLX (joint venture entre a norueguesa Adevinta e a holandesa Prosus) anunciou hoje a compra do Grupo Zap por 2,9 bilhões de reais. Recentemente a OLX Brasil se concentrou no mercado imobiliário.  “Com o Grupo ZAP, a OLX Brasil poderá oferecer a seus usuários mais de 12 milhões de anúncios de mais de 40 mil imobiliárias e de milhares de vendedores privados”, afirmou a companhia no comunicado à imprensa.

Esta transação ocorre justamente na mudança do ponto de inflexão da economia, com juros baixos e abertura de IPOs pelas incorporadoras e construtoras.

Agora é necessário aguardar aprovação do CADE - Conselho Administrativo de Defesa Econômica. J.P. Morgan e Allen & Company são os assessores financeiros exclusivos da OLX Brasil e do Grupo ZAP nessa transação.