@edvaldocorrea
Mercado ensaia movimento de retomada dos lançamentos imobiliários em Curitiba Mercado ensaia movimento de retomada dos lançamentos imobiliários em Curitiba

Mercado ensaia movimento de retomada dos lançamentos imobiliários em Curitiba


O mês de fevereiro desse ano começou mais movimentado em termos de lançamentos do que o mesmo período do ano passado. Segundo a pesquisa mensal realizada pela Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi/PR), em parceria com a BRAIN Bureau de Inteligência Corporativa, o volume de apartamentos residenciais novos lançados na capital paranaense nesse ano praticamente triplicou em relação a fevereiro do ano passado, passando de 126 para 358 unidades. O número de empreendimentos residenciais novos também cresceu: foram quatro no referido mês em 2017, contra três no ano passado.

As novas unidades colocadas no mercado nos últimos 12 meses concentraram-se no segmento de imóveis supereconômicos (com preço de até R$ 215 mil), que recebeu sete novos empreendimentos, e de luxo (com preço de R$ 1.000.001,00 a R$ 2 milhões), padrão que teve cinco empreendimentos a mais do que em fevereiro de 2016. “Os anúncios de elevação do teto do imóvel e de criação de uma nova faixa para o Minha Casa Minha Vida, bem como o começo de lenta e progressiva redução da taxa de juros para financiamento imobiliário pelos bancos, em função da redução da Selic, foram bem recebidos pelo setor que, aos poucos, retoma a produção”, analisa o presidente da Ademi/PR, Jacirlei Soares Santos.

Nos últimos 12 meses, o estoque residencial teve queda de 17,5%, saindo da casa das 9 mil para próximo de 7,5 mil unidades. “Com esse número, Curitiba retroage ao estoque do ano de 2011 e volta a ter o que é considerado o estoque ideal para um mercado do porte de nossa capital”, ressalta Santos. As quedas mais significativas foram para os apartamentos econômicos (com preço de R$ 215.001,00 a R$ 250 mil), que tiveram volume reduzido em mais de quatro vezes (de 1.290 para 282 unidades), e para os imóveis standard (com preço de R$ 250.001,00 a R$ 400 mil), com recuo de 27% das unidades disponíveis para a venda (de 1.709 para 1.328 imóveis). 

“As incorporadoras direcionaram seus esforços promocionais para esses padrões, especialmente o standard que concentra a maior fatia da oferta na cidade, o que transformou a compra numa ótima oportunidade de negócio, principalmente para quem detinha alguma reserva financeira”, avalia o diretor de Pesquisa de Mercado da Ademi/PR, Luiz Francisco Viana Jr.

Ainda nos últimos 12 meses, o preço médio do metro quadrado privativo dos apartamentos residenciais novos em Curitiba acumulou correção de 5,2%, em R$ 6,9 mil, acima do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) que fechou o período em 4,7%. Os apartamentos com três e quatro dormitórios apresentaram o maior reajuste no período, de 6,9% e 6,0%, respectivamente, com média do metro quadrado privativo de R$ 6.846,00 e R$ 10.738,00, nessa ordem.

Na análise por bairro para fevereiro desse ano, o Batel continua a deter o maior valor do metro quadrado privativo para as tipologias de um, dois e três dormitórios, com metro quadrado privativo médio de R$ 10.638,00, de R$ 11.243,00 e de R$ 11.002,00, respectivamente. O bairro também retomou a liderança de maior preço médio do metro quadrado privativo para apartamento de quatro dormitórios, a R$ 12.479,00.

A pesquisa da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi/PR) e da BRAIN Bureau de Inteligência Corporativa, em fevereiro de 2017, contou com uma amostra acumulada de 377 empreendimentos residenciais novos (na planta, em construção ou concluídos) para a venda por construtoras, incorporadoras e imobiliárias em Curitiba, coletados diretamente junto às empresas do setor.

Fonte: contato@memilia.com



0 Comentários