@edvaldocorrea
Presidente da Caixa Econômica Federal não espera mais altas nos juros neste ano Presidente da Caixa Econômica Federal não espera mais altas nos juros neste ano

Presidente da Caixa Econômica Federal não espera mais altas nos juros neste ano

Segundo ele, os reajustes que precisavam ser feitos já ocorreram em 2021, e as condições de mercado permitem a estabilidade das taxas

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, reafirmou nesta quarta-feira, 19, que não espera mais aumentos de juros no financiamento imobiliário por parte do banco. Segundo ele, os reajustes que precisavam ser feitos já ocorreram em 2021, e as condições de mercado permitem a estabilidade das taxas.

"Não estamos precificando mais aumento nos juros do crédito imobiliário, já aconteceu", disse ele, em transmissão ao vivo para comentar os resultados do banco no segmento. A Caixa é líder no financiamento habitacional, com mais de 66% do mercado

O executivo afirmou que, para definir as taxas, a Caixa segue os juros futuros com vencimento em oito anos, que é a duração média dos contratos. Por isso, diante de uma menor volatilidade na comparação com o ano passado, seria possível manter as taxas no nível atual.

Segundo Guimarães, o banco espera um crescimento de pelo menos 10% no crédito habitacional neste ano em relação a 2021, ano de recorde histórico, com R$ 140,6 bilhões concedidos. O mês de janeiro, acrescentou, se iniciou também com máximas históricas nos contratos de financiamento .

Pedro Guimarães - Presidente da Caixa (Divulgação/Agência Estado)

Balanço

A Caixa fechou 2021 com 6,1 milhões de contratos ativos no financiamento habitacional, e lidera com folga o mercado do segmento, com 66,3% do total, consideradas todas as linhas. No financiamento às empresas de construção, foram desembolsados R$ 31,3 bilhões apenas em 2021, alta de 27,1% em relação a 2020.

"A Caixa tem mais de R$ 553 bilhões na carteira de crédito imobiliário", disse Guimarães, ao destacar que mais da metade das concessões, ou R$ 82,8 bilhões, foi por recursos do SBPE, o financiamento feito com recursos da poupança.

0 Comentários