@edvaldocorrea
PELO TERCEIRO MÊS CONSECUTIVO, ESTOQUE DE APARTAMENTOS NOVOS RECUA EM CURITIBA PELO TERCEIRO MÊS CONSECUTIVO, ESTOQUE DE APARTAMENTOS NOVOS RECUA EM CURITIBA

PELO TERCEIRO MÊS CONSECUTIVO, ESTOQUE DE APARTAMENTOS NOVOS RECUA EM CURITIBA

Pelo terceiro mês consecutivo, estoque de apartamentos novos recua em Curitiba

O número de apartamentos residenciais novos disponíveis para a venda recuou ainda mais em Curitiba e chegou a 9.296 unidades em fevereiro de 2016, 3% a menos do que o mês anterior quando o saldo foi de 9.575 unidades. Os dados da pesquisa mensal da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi/PR), em parceria com a BRAIN Bureau de Inteligência Corporativa, revelam ainda que, nos últimos 12 meses, a queda no volume de imóveis novos em estoque na capital paranaense foi de 17%. Isso porque, em fevereiro de 2015, havia 11.158 apartamentos novos para a venda na cidade. O estudo é o mais completo do setor de incorporação imobiliária para Curitiba e região.



Para a presidente da Ademi/PR, Aline Perussolo Soares, os dados da pesquisa reforçam que esse é o momento para a compra do imóvel. “Estamos acompanhando uma redução gradativa do estoque de imóveis novos, combinado a uma baixa expectativa de lançamentos imobiliários para esse ano, o que sinaliza que poderá haver a restrição da oferta em médio prazo, caso essa situação se mantenha. Além disso, os novos empreendimentos provavelmente virão a preços mais elevados, em função do aumento do custo para construção”, observa.

Na comparação entre os meses de fevereiro de 2016 e de 2015, em valores percentuais, os apartamentos econômicos, com preço de R$ 170 mil a R$ 250 mil, lideraram a redução de unidades em estoque, com recuo de 35,2%. As quedas também foram intensas para os studios, lofts e apartamentos de um dormitório, bem como para os imóveis novos no padrão standard (com preço de R$ 250 mil a R$ 400 mil), que tiveram baixa de 31,4% e de 30,4% em unidades, respectivamente.

Ainda no mesmo período, mas em valores nominais, os apartamentos standard (de R$ 250 mil a R$ 400 mil) tiveram a maior redução de unidades em estoque, contabilizando uma queda de 1.002 imóveis. Os studios, lofts e apartamentos de um dormitório e os apartamentos econômicos (com preço de R$ 170 mil a R$ 250 mil) também recuaram significativamente, com diminuição de 801 e 702 unidades em oferta, nessa ordem.

“Claramente está se estabelecendo um novo patamar para o mercado de lançamentos imobiliários em Curitiba, com ajuste da oferta e da demanda entre os padrões, especialmente naqueles que concentram a maior parte das unidades colocadas no mercado desde 2008. Se esse movimento persistir, acreditamos que a previsão de uma disponibilidade de 25% de imóveis para venda em relação à oferta para esse ano deve se concretizar”, analisa o diretor de Pesquisa de Mercado da Ademi/PR, Fábio Tadeu Araújo.

A pesquisa da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi/PR) e da BRAIN Bureau de Inteligência Corporativa, em fevereiro de 2016, contou com uma amostra de 369 empreendimentos e 9.296 apartamentos residenciais novos (na planta, em construção ou concluídos) à venda por construtoras, incorporadoras e imobiliárias, em Curitiba, coletados diretamente junto às empresas do setor.

Preço - Ao contrário do estoque que permanece em queda em Curitiba, o preço dos imóveis novos foi reajustado em todas tipologias na capital paranaense. Na variação mensal, o preço médio do metro quadrado privativo teve alta de 0,2%, chegando a R$ 6.562,56 em fevereiro de 2016. A correção mais intensa foi para os studios, lofts e apartamentos de um dormitório que acumularam alta de 0,6%, com média do metro quadrado privativo a R$ 7.130,00.

Nos últimos 12 meses, tendo fevereiro como mês de referência, os imóveis nos foram reajustados em 5,6%, com destaque para os apartamentos de quatro dormitórios, que tiveram correção de 19%, com metro quadrado privativo médio a R$ 10.125,00. No acumulado do ano, o preço dos apartamentos residenciais novos em Curitiba acumula elevação da ordem de 1%. 

Na análise por bairro, considerando fevereiro desse ano, o Batel continua a deter o maior valor do metro quadrado privativo para studios, lofts e apartamentos de um dormitório, na média de R$ 10.548,00. O bairro também tem o maior valor do metro quadrado privativo para os apartamentos residenciais novos de dois e três dormitórios, com média de R$ 11.991,00 e de R$ 8.569,00, assim como para os imóveis com quatro dormitórios, com metro quadrado privativo médio a R$ 12.079,00.

Fonte : contato@memilia.com

0 Comentários