@edvaldocorrea
Toyota Home : Um dos Líderes no Mercado Japonês de Construção Industrializada Toyota Home : Um dos Líderes no Mercado Japonês de Construção Industrializada

Toyota Home : Um dos Líderes no Mercado Japonês de Construção Industrializada

O mercado de construção industrializada japonês foi da ordem de 21 bilhões de dólares em 2019 (Mordor Intelligence), representando cerca de 15% do mercado total do país. Como ordem de grandeza o número total de casas industrializadas por ano gira em torno de 130 mil unidades, em um mercado já bem maduro.

Os grandes conglomerados são líderes naquele país. E, uma delas chama muito a atenção, estando em 4º no ranking de empresas de "pré-fabricados": a Toyota Home, que conseguiu aplicar a experiência e os conceitos tecnológicos e de gestão adquiridos na produção de automóveis para o negócio construção. 


A estimativa é que a Toyota Home venda 15 mil casas por ano, nos mercados do Japão e Indonésia, com uma boa linha de opções de casas e prédios baixos. A linha Since é bem interessante e é muito parecida com o que conhecessemos da produção de um automóvel. Basicamente é um chassi modular volumétrico em aço feito em ambiente fabril e que possibilita inclusive a acoplagem de móveis. Também existe a Espacio, que são construídas "on site" usando aço pesado. E a madeira não ficou de fora com o Mokua. A companhia comprou algumas empresas que usam a madeira como base nos últimos anos.

Falando mais especificamente do modular 3D cerca de 85% da produção é feita em ambiente fabril, com um processo de produção sistemático e controle de qualidade altíssimo (sistema de inspeção abrangendo 500 itens), o que permita uma estabilidade incrível da produção. Estes módulos pré-fabricados em dimensões similares a um contêiner de transporte são feitos na fábrica com divisórias, pisos, forro, eletrodomésticos e acabamentos. E depois transportados e montados rapidamente. 

Robustez (maior segurança contra abalos sísmicos), design e sustentabilidade são três valores percebidos pelos clientes.




Já temos algumas aplicações de modular 3D para o residencial aqui no Brasil, inclusive em prédios. Certamente existem muitos aprendizados que podem ser extraídos das experiências das empresas japonesas.

Será que os fabricantes de automóveis podem ser players importantes no mercado de construção mundial no futuro?

Sobre o autor:

Edvaldo Corrêa é Graduado em Tecnologia da Construção Civil pela UTFPR, Licenciado em Educação Profissional pela UFPR, Pós-graduado em Gestão de Escolas Técnicas pela UFSC; Técnico em Gestão de Negócios Imobiliários pelo IBREP e Técnico em Edificações pela UTFPR. Atua no mercado desde 1990, tendo trabalhado em grandes empresas como SENAI, SEBRAE, IVAI, PINI, Grupo Noster, Pioneira da Costa e Tecverde, em cargos técnicos e executivos.

Em paralelo, profere, há anos, palestras sobre temas relacionados a indústria imobiliária em sindicatos, associações, conselhos regionais, empresas privadas, congressos, fóruns setoriais e universidades. Também escreve como convidado para revistas e portais como Imóvel Magazine, Invest USA 360, Destaque Imobiliário, Imóveis News e Instituto IBEI. Junto com Daniel Rosenthal é curador e organizador do Digital Real Estate Brazil.

Áreas de Atuação:
Incorporação Imobiliária;
Diagnóstico e Gestão Empresarial;
Impulsionamento Estratégico;
Comunicação e Vendas;
Empreendedorismo;
Conselho Familiar e Startups;
Estudos de Mercado; e
Cadeia Produtiva da Construção.Veja o perfil completo no Linkedin.

0 Comentários