17 de março de 2019

A arquitetura modular em voga

Em sua edição 2019, a Feicon Batimat, que acontecerá entre os dias 9 e 12 de abril, levará aos visitantes duas experiências em matéria de construção modular: a Casa Cerâmica, que utiliza o sistema construtivo racionalizado e aposta em alvenaria estrutural com blocos cerâmicos, e a Sua Casa em 24 h, demonstrando a viabilidade de uma solução para resolver o déficit habitacional do Brasil na construção de uma casa em apenas um dia.

Enquanto a feira não chega, vamos lançar um olhar para o sudoeste de Chicago, numa propriedade monolítica de um cinza imenso, que serve como fronteira entre o bairro residencial e o industrial da cidade. Por dentro, o equivalente a uma fábrica de apartamentos, com uma linha de montagem que produz unidades padronizadas e prontas para serem parafusadas em uma pilha de aço-moldado em qualquer canteiro de obras.

Na América, a construção modular tem mais de um século de existência, mas nunca tanta tecnologia esteve direcionada para essa indústria. A prova disso é o primeiro protótipo da empresa: um apartamento de um quarto, totalmente mobilado, com sistema de ambientação com termostato Nest, mobiliário repleto de design e até mesmo um difusor de aroma.

As primeiras unidades serão destinadas a um condomínio na própria Chicago, com 110 unidades. Porém, a promessa da fábrica é dupla. A Skender acredita que vai cortar custos na ordem de 15% e acelerar a construção em 40% do tempo. Para o CEO da empresa, é preciso “mudar a mentalidade” e ir para longe do processo de construção convencional, onde um desenvolvedor contrata um arquiteto, um engenheiro e um empreiteiro, e então esse profissional traz os subcontratantes. Esse fluxo de trabalho tradicional facilita erros de comunicação, jogos de culpa e desculpas quando as coisas dão errado, o que pode levar a atrasos longos, orçamento saturado e contencioso. “O que estamos querendo para fazer é falar ‘aqui está seu apartamento, com suas características e seus benefícios, e que entregaremos em X tempo’. É uma mentalidade baseada em produtos, que muda o paradigma no caminho que nós entregamos edifícios”, finaliza.

A Skender não é a primeira empresa a abrir uma fábrica de construção modular em uma grande cidade americana nos últimos anos. Sabe-se de outras tentativas para tornar o sonho uma realidade, como no exemplo do projeto de alto-perfil da SHoP Architects, que pretendia construir a torre modular mais alta do mundo, no centro de Brooklyn e que pregava uma estimativa de economias de custo e velocidade de 70% em comparação a uma torre convencional.

A Skender aposta ainda em uma estratégia de tratar o design internamente, com profissionais que trabalhariam direta e intrinsecamente com os construtores das unidades em si. O objetivo é superar a fragmentação entre arquiteto, engenheiro, empreiteiro e subempreiteiro, trazendo-os para a mesma fábrica para combinar as eficiências de arquitetura modular com a abordagem holística de uma empresa de concepção e construção. “Se eu sou um arquiteto e desenho uma coisa, qual melhor maneira de fazer daquilo um estado da arte, que estar na mesma equipe que todo o restante do grupo construtivo”, comenta o diretor de design.

Ainda em estudos e refinamento de seu projeto, a empresa está focada na otimização do protótipo e produzirá efetivamente suas primeiras unidades em junho de 2019.

A arquitetura modular em voga
Crédito foto : Cortesia Skender
Fonte: Portal da Construção e Notícias FEICON BATIMAT

Siga Edvaldo Corrêa no Twitter e LinkedIn.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários, críticas e sugestões...
Todos os comentários são lidos e moderados.
Grato!