Estratégia do Banco do Brasil para o Minha Casa, Minha Vida

By | quarta-feira, janeiro 19, 2011 Leave a Comment

O Banco do Brasil definiu sua estratégia para participar do Programa “Minha Casa, Minha Vida” do Governo Federal, que vai facilitar a aquisição da moradia própria para famílias de menor renda. A meta é a construção de um milhão de unidades em todo o país até 2011. Para contribuir com o objetivo do Programa, o BB vai oferecer linhas de crédito para financiamento à produção de novas unidades, com a destinação de recursos para a pessoa jurídica (PJ) e o financiamento da aquisição de imóveis novos pela pessoa física, com recursos do FGTS. 



"O Banco do Brasil já tem autorização para utilizar o repasse de R$ 500 milhões do FGTS. Esse recurso será utilizado para a atuação no âmbito do "Minha Casa, Minha Vida", além dos programas tradicionais de aplicação do Fundo", afirmou Antonio Francisco de Lima Neto, presidente do BB. O Banco vai elaborar novo modelo de negócio para a contratação de operações de crédito imobiliário para se adaptar ao Programa do Governo Federal.

O BB vai operar exclusivamente com imóveis novos para o público com faixa de renda acima de três e até 10 salários mínimos, com preferência para aquelas unidades originadas de financiamentos destinados à produção. Estima-se que, nessa faixa de renda, exista um público-alvo de quatro milhões de pessoas, na base de clientes do BB.

O modelo de negócio para a atuação no Programa “Minha Casa, Minha Vida” prevê ainda que o Banco do Brasil firme parcerias com empresas especializadas no crédito imobiliário para o segmento de negócios com a pessoa física. Essas empresas parceiras ficariam responsáveis pela originação dos negócios com o crédito imobiliário, além do estudo da operação e sua contratação depois que o Banco aprovar o financiamento.

O Banco do Brasil identificou cerca de 2.600 empresas construtoras na sua base de clientes da pessoa jurídica com potencial para a obtenção do financiamento para a produção de novas moradias.

Histórico do crédito imobiliário no BB

As contratações do financiamento imobiliário para clientes e não-clientes com a utilização de recursos do Sistema Financeiro da Habitação (SFH) foram iniciadas pelo Banco em julho de 2008, quando as agências em todo o país passaram a oferecer o BB Crédito Imobiliário, após a autorização do Banco Central para operar no mercado imobiliário com a utilização de recursos de poupança, que têm custo menor de captação.

O financiamento do Banco do Brasil é destinado para a aquisição de imóveis residenciais ou comerciais, novos ou usados. O BB Crédito Imobiliário financia até 90% do valor do imóvel, com valores entre R$ 20 mil e R$ 1,5 milhão – para contratos com recursos do SFH há o limite legal de R$ 500 mil para o valor de avaliação do imóvel. O prazo máximo de financiamento é de até 25 anos.

O Banco do Brasil também oferece a solução do consórcio para a aquisição de imóveis desde junho de 2008. O BB Consórcio de Imóveis tem prazo de 200 meses – o maior do mercado entre os concorrentes bancários. O valor das cartas de crédito para aquisição do imóvel pelo consórcio imobiliário do Banco do Brasil varia de R$ 30 mil a R$ 300 mil. O produto é oferecido aos clientes com taxa de administração bem competitiva: 17%, diluídos ao longo do período de pagamentos da cota, mais 1% de taxa de administração antecipada – esta última com valor diluído nas 10 primeiras prestações.

Fonte: site do BB
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial