Criarumemail.com/

Postagens Recentes



Construtoras ofertam condições especiais para atrair o consumidor neste fim de ano. 
Décimo terceiro salário pode ajudar para que a casa própria venha no trenó do Papai Noel



Nessa semana, o brasileiro recebe a primeira parcela do 13º salário. O momento aguardado pelo comércio e empresas de outros segmentos, que buscam o aquecimento das vendas neste fim de ano. As pesquisas apontam que, com o dinheiro no bolso, o trabalhador distribui o recurso para pagamento de dívidas, presentes para o natal, a viagem de férias e para as despesas de início de ano. Mas, na disputa por uma fatia do 13º, está também o mercado imobiliário, que prepara ofertas para quem deseja que a casa própria seja o presente da família neste fim de ano.

A gestora comercial da Dinâmica Engenharia, Ana Maria da Cunha, explica que, diferentemente do passado, as empresas do setor estão cada vez mais atuantes no mês de dezembro, especialmente no segmento econômico, onde o décimo terceiro pode ajudar a compor o valor da entrada. De acordo com dados da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Estado de Goiás (Ademi-GO), dezembro absorveu quase 5% do estoque em 2014 (4,64%) e 2015 (4,76%). Em números, foram 459 e 460 vendas neste mês, resultado similar a outros meses do ano, que são considerados mais aquecidos. Em 2015, por exemplo, o mês foi superior a desempenhos como agosto, setembro e novembro.

Gestora Comercial da Dinâmica - Ana Maria da Cunha
“Para quem está planejando a aquisição, esta é uma renda complementar importante” diz a gestora. Na própria empresa em que ela atua, dezembro do ano passado foi considerado o quinto melhor mês em vendas. O foco da atuação da empresa para dezembro deste ano é o Eldorado Parque, complexo residencial no Parque Oeste Industrial, que já possui residenciais prontos e em construção. Nas unidades prontas, cujos valores começam com R$ 147 mil, é possível pleitear o financiamento pelo Programa Minha Casa Minha Vida, que pode chegar a 90% do valor do imóvel, dependendo do enquadramento do comprador no programa e da renda. “Em alguns casos, o comprador só precisa arcar com 10%, ou seja, menos de R$ 15 mil e já mudar para a casa própria”, calcula. Para unidades em construção, a entrada mínima é de 5% do valor do empreendimento.

Décimo terceiro em dobro
Na MRV Engenharia, empresa focada em imóveis para o segmento econômico, as vendas crescem em 35% nos meses de novembro e dezembro, informa o gestor comercial da empresa, Fernando Salomão. “Nossa expectativa é de grande movimentação”, disse.
Fernando explica que, embora os imóveis sejam financiados já durante a obra pelo Minha Casa Minha Vida, o consumidor ainda precisa arcar com pelo menos 10% do valor do imóvel. “O 13º salário ajuda na composição deste valor”, diz. Para incentivar a compra neste fim de ano, para dois lançamentos da marca, o Gran Império, no Jardim Imperial, e o Gran América, no Jardim Belo Horizonte, ambos em Aparecida de Goiânia, o consumidor ganha o valor de seu 13º salário apresentando no contracheque em forma de desconto no valor do imóvel. A promoção é limitada a R$ 3 mil.
Gestor Comercial da MRV - Fernando Salomão

Gran Império

Efeito cascata

Mas não são somente os trabalhadores que compõem o perfil de compradores de imóveis neste fim de ano. Diretor da Cinq Desenvolvimento Imobiliário, o incorporador Eduardo Oliveira lembra que que a injeção de dinheiro na economia gera um efeito cascata na economia, especialmente neste momento do País, trazendo o comerciante para o papel de consumidor. “Com mais dinheiro em caixa, ele também tem mais possibilidade de executar seus projetos pessoais ligados à moradia e investimentos”, observa. Ele prepara condições especiais para a aquisição do Parqville Pinheiros, condomínio horizontal com 415 lotes, na região do setor Garavelo, em Aparecida de Goiânia. O empreendimento foi lançado em setembro deste ano.

Fonte:

COMUNICAÇÃO SEM FRONTEIRAS 
Contatos: (62) 3522.3163 | 3921.0430
Whatsapp: (62) 9.9919.9659 (empresa) | (62) 9.9900-0328
www.comunicacaosemfronteiras.com
Equipe de Atendimento:
Alessandra Curado - alessandra@comunicacaosemfronteiras.com
Hugo - hugo@comunicacaosemfronteiras.com
A Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi/PR) vai premiar os ganhadores do Troféu Incorporador do Ano 2016, em solenidade que será realizada no dia 13 de dezembro, no Graciosa Country Club, em Curitiba. A premiação bianual tem a finalidade de estimular a excelência profissional no setor imobiliário, reconhecendo as empresas associadas que mais se destacaram no período pelas boas práticas corporativas empregadas no planejamento e na execução dos lançamentos imobiliários no Estado, e dos profissionais que contribuíram para a valorização e desenvolvimento do setor.

A presidente da Ademi/PR, Aline Perussolo Soares, conta que nesse ano a premiação foi reformulada. Uma das alterações foi a inclusão de novas categorias, passando de quatro para 14. Destas, cinco são indicações (Personalidade; Empresa Incorporadora do Ano; Executivo do Ano; Obra relevante, expressiva ou emblemática; Fornecedor) e as outras noves avaliadas por uma comissão julgadora (Empreendimento do Ano – Lançado; Empreendimento do Ano – Concluído; Lançamento Horizontal; Minha Casa Minha Vida – Lançamento; Projeto Arquitetônico – Residencial e Comercial; Prêmio Sustentabilidade; Imobiliária do Ano e Melhor Campanha de Marketing).

“Optamos por ampliar as categorias para que mais empresas pudessem concorrer à premiação. Além disso, entendemos que cada tipo e padrão de construção tem suas particularidades quanto a projeto, investimentos, atributos e diferenciais e dessa forma a concorrência entre as empresas ficaria mais nivelada e justa. Ainda, queremos homenagear as grandes obras do Estado e os principais parceiros da construção civil, como imobiliárias e fornecedores”, explica Aline.

A comissão julgadora do Troféu Incorporador do Ano 2016 contou com jurados externos, além dos diretores da Ademi/PR. Participaram da votação o diretor corporativo de Marketing do Grupo Positivo, Rogerio Mainardes; o diretor da Imobiliária Thá, Fernando Antonio Thá; a vice-presidente da Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil, seção Paraná (ADVB-PR), Milene Seabra; e a arquiteta e conselheira da Associação Brasileira de Escritórios de Arquitetura, seção Paraná (AsBEA-PR); Elaine Zanon. “Isso confere ainda mais credibilidade para a maior premiação do mercado imobiliário no Paraná”, comenta Aline.

Outra novidade é que a celebração volta a ser sediada no Graciosa Country Club, local em que ocorreu a primeira edição da premiação, em 1989. A última edição do evento foi em 2014, no Castelo do Batel. A presidente da Ademi/PR conta ainda que junto com o Troféu Incorporador do Ano, serão apresentados os dados do Perfil Imobiliário de 2016. O levantamento anual apresenta o balanço da produção de imóveis residenciais novos em Curitiba, geral e por região, bem como da Região Metropolitana, bem com traça o perfil do comprador de imóveis na capital.

Retrospecto – O evento de premiação dos destaques do mercado imobiliário paranaense pela Ademi/PR acontece desde o fim da década de 80. A denominação, inicialmente Troféu “O Construtor do Ano”, e o formato, um jantar com realização anual, foram definidos em novembro de 1989. Embora o nome do evento estivesse atrelado a uma organização, ficou instituído que ele não se restringiria exclusivamente aos construtores, expressando o termo amplo da própria palavra. A primeira edição ocorreu em 12 de dezembro de 1989, no Graciosa Country Club, tendo como homenageado o Banco Itaú.

O prêmio foi entregue a uma personalidade, pela primeira vez, em 1993, tendo como homenageado o empresário Nelson Torres Galvão. A partir de 1998, a premiação teve uma nova categoria: Profissional/Destaque do Ano e Empreendimento/Empresa do Ano. Uma nova reformulação foi feita em 2006, quando o evento passou a se chamar Troféu “Incorporador do Ano” e homenagear também uma empresa incorporadora. A partir de então, sua realização tornou-se bianual, paralelamente à cerimônia de entrega do Perfil Imobiliário.

O certame recebeu nova alteração em 2012. Além da personalidade e da empresa incorporadora, indicadas pela própria associação, foi aberta concorrência para as construtoras e incorporadoras associadas à entidade em duas categorias de empreendimento: destaque e concluído. Ainda a partir de 2012, a premiação foi estendida a empreendimentos desenvolvidos ou com participação de companhias de capital aberto, com projetos no Paraná e sede no eixo Rio-São Paulo.

Além do Graciosa Country Club e do Castelo do Batel, outros endereços tradicionais da capital paranaense já sediaram a premiação, como a Sociedade Giuseppe Garibaldi, o Clube Concórdia (hoje pertencente ao Clube Curitibano) e o Buffet do Batel.

Graciosa Country Club. Crédito: divulgação
Fonte: contato@memilia.com
Corretores de Imóveis Sulamericanos Conhecem Mercado Imobiliário de Orlando.

Veja artigo na íntegra acessando o link goo.gl/grZ3pP




Mais de 700 visitantes. Com esse desempenho, a VCG Empreendimentos Imobiliários celebra em novembro o primeiro ano de funcionamento da sua loja no shopping Pátio Batel, em Curitiba. A coordenadora de marketing e relacionamento da incorporadora, Amanda Medeiros, diz que a estratégia de inovação do ponto de venda superou as estimativas previstas. “Além de ser uma ferramenta eficaz de divulgação da marca, a loja funciona como um centro de apoio ao setor comercial e para atendimento dos clientes de todos os empreendimentos, o que permite a prestação de um serviço padronizado e eficiente”, comenta.

Amanda explica que a escolha de um shopping para a instalação da loja teve como pontos favoráveis o fluxo de pessoas que por ele passam todos os dias e o horário de funcionamento estendido, de manhã à noite, todos os dias da semana. “Já a escolha pelo Pátio Batel se deu em função do perfil do nosso público alvo, visto que somos uma empresa de nicho. Trabalhamos com empreendimentos residenciais e comerciais de alto padrão, em regiões nobres da cidade, e o perfil do nosso comprador está alinhando ao da maioria dos frequentadores do shopping”, argumenta.

A loja da VCG no Pátio Batel compreende duas equipes, cada uma com um arquiteto, um atendente e um gerente comercial, que trabalham em escala. A coordenadora de marketing e relacionamento diz que cada profissional tem atribuições bem definidas: a atendente faz a recepção e apresenta a loja; a arquiteta demonstra os empreendimentos em detalhe e o gerente comercial assessora o cliente em todas as questões relativas ao processo de compra.

“A apresentação dos projetos é feita por meio de uma mesa digital, com tecnologia touch screen, na qual o cliente consegue visualizar os detalhes técnicos do empreendimento, visualizar a infraestrutura instalada próxima ao condomínio e acompanhar o tour virtual de uma unidade decorada para melhor entendimento das dimensões de cada ambiente do imóvel. Além disso, ele confere uma proposta de decoração para o seu apartamento”, ressalta Amanda.

Atualmente, a incorporadora conta com seis empreendimentos em Curitiba, entre residenciais e comerciais (na planta, em construção e prontos para morar), contabilizando uma oferta lançada de 500 unidades. Os condomínios residenciais compreendem apartamentos de um a quatro quartos, com área privativa de 27 a 330 m², nos bairros Barigui, Ecoville, Bigorrilho e Juvevê. Os empreendimentos comerciais compreendem conjuntos corporativos com área privativa de 44 a 119 m², nos bairros Batel e Água Verde.


Loja VCG. Crédito foto:  Amarildo Henning.

Loja VCG. Crédito foto:  Amarildo Henning.
Fonte: contato@memilia.com
Recomendo conhecer a trajetória do empreendor Leandro Teles. 
Assista ao vídeo:




Para participar gratuitamente do Mini-Curso GRATUITO de como investir em imóveis nos Estados Unidos basta acessar este link: http://bit.ly/InvestirImoveisEUA
Para muitos, morar perto desses locais, que estão cada vez mais disputados na cidade, é sinônimo de mais qualidade de vida


Em Goiânia, imóveis próximos a praças e parques chegam a ter uma valorização de até 20%, dependendo da localização da área. A estimativa é do especialista do mercado imobiliário José Humberto Carvalho, diretor da URBS RT Lançamentos Imobiliários.

“O principal motivo que leva as pessoas a buscarem imóveis perto de praças e parques, principalmente quem vive em apartamento, é a busca por qualidade de vida. Além de promover a socialização entre as pessoas, esses locais são ótimas alternativas para o lazer com os filhos, para a prática de esportes, como uma corrida”, afirma José Humberto.

O executivo inclusive lembra que nossa capital é famosa nacionalmente por seus parques e praças. “Além de muito bonitos, em sua maioria, os parques e praças de Goiânia possuem vários equipamentos, como pista de skate, academias ao ar livre e até pet places (local específico para passeios com cães) como fizeram na Praça do Sol, que estimulam a população a usar esses espaços”, destaca. 

A recém-revitalizada Praça do Sol no Setor Oeste é um ótimo exemplo de como esses logradouros no ambiente urbano enobrecem uma determinada região e trazem qualidade de vida para a comunidade. O espaço, que hoje é um dos principais points para lazer e convivência social na região, foi todo reformulado, recebendo novos jardins, nova iluminação, implantação de academia ao ar livre, anfiteatro, parque infantil, espaço para animais de estimação e um monumento em homenagem à cidade. 

Praça do Sol. Crédito foto: Prefeitura de Goiânia
Antes mesmo da reforma, o local já havia atraído a construção de vários empreendimentos residenciais, como o Ária das Artes, da FR Incorporadora. “A localização nobre já era um dos pontos fortes desse nosso empreendimento. Agora com a nova Praça do Sol temos a expectativa que haja uma valorização ainda maior”, afirma Raimundo Nonato Rodrigues Brito, coordenador de produtos da FR.

Ele também avalia que a localização próximo a uma praça ou parque agrega um valor significativo a um imóvel. “Goiânia é uma cidade que não possui atrativos naturais, como praias e cachoeiras por exemplo, por isso nossas praças e parques, famosos no Brasil por sua beleza, são bastantes disputados e, portanto, imóveis próximo a esses locais são sempre mais valorizados”, esclarece.

Praça do Sol. Crédito foto: Prefeitura de Goiânia
Com previsão de entrega para outubro de 2017, o projeto do Ária das Artes, assinado pelo arquiteto Alexandre Leite, promete dar ainda mais charme ao novo layout da Praça do Sol. A obra conta ainda com o toque da renomada artista plástica Sáida Cunha, antiga moradora do local onde está sendo erguido o prédio. A FR Incorporadora a convidou para participar do projeto com intuito de valorizar a história Setor Oeste, um dos mais antigos de Goiânia.

Ária das Artes. Crédito foto :  divulgação

Respiro
De acordo com a arquiteta e urbanista, Silvana Aguiar, além de um excelente espaço para a convivência social e o lazer, as praças e parques têm também outra importante função dentro dos grandes centros urbanos.

“Essas áreas funcionam como um respiro em meio a rigidez de grandes cidades como Goiânia. Estudos científicos comprovam que a existência dessas áreas verdes nas praças e parques influencia positivamente no microclima dos arredores desses logradouros, melhorando a circulação dos ventos e deixando a temperatura mais agradável. Isso para um clima quente e seco como o nosso é fundamental”, explica a urbanista.

A nova Praça do Sol possui uma composição paisagística harmônica e de comunicação entre as espécies arbóreas de grande porte e de identidade da praça, como as Barrigudas, Flamboyants e Sibipirunas, além das novas que foram introduzidas: Palmeiras Jerivá, plantas ornamentais como Trapoeraba, Alpinia, Moreia e Mini Camará. Também foram plantadas mudas de Cipó-alho, Sete-léguas, Helicônia, Moréias, Sálvia Vermelha e Hera Roxo, além de gramas Esmeralda, Pelo de Urso, Amendoin, São Carlos, Santo Agostinho, e árvores como Ipê Amarelo, Bauhinia, Jacarandá Mimoso e Cássia Chuva-de-Ouro.

Serviço:
Raquel Pinho
Diretora de Jornalismo
Registro Profissional nº GO 01752

Equipe de Atendimento
Instagram @comunicacaosemfronteiras
Twitter: @sem_fronteiras_ 
Parabéns Tecverde! O primeiro prédio no Brasil construído com tecnologia sustentável é financiado pela Caixa e destinado ao programa Minha Casa Minha Vida (MCMV). Fica em Araucária, no Paraná. Após a experiência de construção de casas com a tecnologia em Wood Frame (quadro de madeira) para o programa do Governo Federal, atendendo a mais de 10 mil famílias, chegou a hora de construir um prédio com a mesma tecnologia sustentável, a seco, que utiliza painéis de madeira – sistema já homologado pela CAIXA e pelo Ministério das Cidades.

Leia a matéria completa em goo.gl/CTrAUa .

Foto: divulgação

Fonte: Assessoria de Imprensa CAIXA.