Pirenópolis ganha eco resort sustentável no Centro Histórico

By | sábado, junho 25, 2016 Leave a Comment
Nessa última quinta-feira (23) aconteceu o pré-lançamento do Quinta Santa Bárbara Eco Resort, um empreendimento que estará em perfeita harmonia com a arquitetura da cidade e contribuirá com a economia e o turismo local. O público pode conhecer detalhes do projeto, assim como as modalidades de aquisição, na sala de vendas da Rua do Bonfim, Centro.

O empreendimento será construído em área do Centro Histórico, ao lado da Igreja Nosso Senhor do Bonfim. O projeto é uma reestruturação da antiga Pousada Quinta Santa Bárbara, que está na cidade desde início dos anos 80. Com uma proposta de integração ao conjunto arquitetônico da cidade e respeito ao meio ambiente, o terreno de 60 mil m² será ocupado com edificações em apenas 10% de sua área total, terá 72% de área permeável, e 30 mil m² de áreas verdes, que incluem a área de preservação permanente (APP). As edificações terão altura máxima de 8,5m² em até dois pavimento. A arquitetura será em estilo colonial e contará com elementos contemporâneos. No total, serão 192 apartamentos de um ou dois quartos.




“Desde quando começamos a pensar esse projeto, nossa intenção foi adotar um conceito arquitetônico que tivesse em completa harmonia com a história, cultura e arquitetura da cidade, ou seja, um empreendimento com a cara de Pirenópolis. Essa proposta irá proporcionar aos hóspedes experiências inesquecíveis e marcantes, totalmente inseridas no destino”, explica a arquiteta Juliana Mesquita, responsável pelo projeto de arquitetura do Quinta Santa Bárbara Eco Resort e diretora da BSA Arquitetura.

O Quinta Santa Bárbara Eco Resort é uma realização das empresas B3 Incorporadora e Construtora, Quintas Empreendimentos Turísticos LTDA, JVG Investimentos, Procen Engenharia e New Time Administração e Marketing. O grupo empreendedor acumula mais de 30 anos de experiência em empreendimentos de lazer, incorporação e obras de infraestrutura. As vendas serão feitas pela Cia de Negócios e a New Time.

O início das operações está previsto para 2020. A administração hoteleira do Quinta Santa Bárbara Eco Resort ficará a cargo da B3 Hotels - empresa brasiliense, com cases de sucessos em Brasília e Caldas Novas, e com projetos em estudos e andamento nas cidades de Campos do Jordão-SP e Barretos-SP. 

Além dos apartamentos, os hóspedes contarão com uma completa estrutura de lazer que inclui praça de eventos, redários, piscinas aquecidas adulto e infantil, piscina de hidromassagem, piscina com toboágua, playground, brinquedoteca, quadra poliesportiva, fitness, salão de jogos, sauna, pista de caminhada inserida dentro das áreas verdes, lago contemplativo, restaurante e salão de eventos.

O empreendimento contará com 181 vagas de estacionamento, número maior do que o exigido pela legislação para acomodar os veículos. A entrada será voltada para a Rua do Bonfim, cujo acesso pode ser feito por fora do Centro Histórico.

Pela proximidade das áreas gastronômicas e de compras da cidade, os visitantes hospedados no Quinta Santa Bárbara Eco Resort serão incentivados a realizarem passeios a pé pela cidade, reduzindo assim os impactos no trânsito local, principalmente em períodos de alta temporada.

Empregos
As obras de infraestrutura do terreno serão iniciadas em julho/16 e as obras das edificações estão previstas para começar em 2017. A expectativa é que, durante as obras, cerca de 130 pessoas sejam contratadas, de forma direta ou indireta. Quando entrar em operação, a previsão é que o empreendimento gere mais de 100 empregos formais, entre diretos e indiretos.

Trabalhos de artesãos locais serão utilizados na montagem do empreendimento, na decoração de ambientes de áreas comuns e interior dos apartamentos, movimentando assim a economia.

Sustentabilidade e infraestrutura urbana
Importantes obras de infraestrutura serão executadas no entorno e no terreno do Quinta Santa Bárbara Eco Resort, beneficiando não só o empreendimento, mas também o bairro vizinho e a cidade.

Será construída na Rua Santa Bárbara galeria de água pluvial com dezenas de “bocas de lobo” para captação e escoamento de enxurradas, que estará ligada a uma rede pluvial interna ao terreno e estas serão amortecidas em bacias construídas em sistema de gabião que irão corrigir um antigo problema de inundações no local.

Juntamente com a ação de reflorestamento da Área de Preservação Permanente (APP) existente na área, será realizado um trabalho de educação ambiental com crianças carentes do bairro vizinho e suas famílias, possibilitando a produção de mudas que serão adquiridas pelo empreendimento. A área a ser reflorestada tem aproximadamente 25.000m².

O empreendimento não utilizará água da rede da cidade fornecida pela Saneago. Após liberação de outorgas, foram perfurados três poços artesianos, além da limpeza de um outro já existente. Esses poços foram doados para a Saneago que utilizará o excesso como contribuição ao abastecimento da cidade.

Além disso o projeto irá promover captação e tratamento de águas das chuvas, instalação de sistema de aquecimento solar, instalação de transformador e grupo gerador, implantação de uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), para tratar 100% dos resíduos produzidos no empreendimento e não poluir o subsolo, as águas dos córregos e os rios da cidade.

As chamadas águas cinzas (provenientes de chuveiros e lavatórios) serão tratadas pela ETE e reutilizadas para molhar jardim, lavar calçadas e para abastecer as descargas das bacias sanitárias. As águas negras (que possuem resíduos sólidos orgânicos) serão tratadas e usadas para produzir adubos que será aproveitados para manutenção das áreas verdes do terreno.

Benefícios para o turismo
Atualmente, o turismo é a principal economia de Pirenópolis, cujo desafio é se tornar um destino conhecido nacionalmente. A cidade hoje enfrenta a baixa ocupação no meio de semana e ainda é um destino predominantemente regional. De acordo com dados da Goiás Turismo, 86% dos visitantes da cidade são de Goiânia, Anápolis e Brasília. Já o Ministério do Turismo diz que apenas 4% dos 51 milhões de turistas internos que circulam pelo Brasil manifestam interesse pelo Centro-Oeste. 

O Quinta Santa Bárbara Eco Resort irá contribuir para alterar esse cenário em Pirenópolis. Um dos benefícios será o estímulo à ocupação da cidade no meio da semana através da modalidade de aquisição, a fração imobiliária, alternativa em que o apartamento é comercializado para vários compradores, que dividem o tempo de uso da propriedade.

“Nessa modalidade, o usufruto é feito por semanas inteiras, a tendência é que o hóspede permaneça nas cidades durante os sete dias, estimulando a economia”, explica Josemar Borges Jordão, da B3 Hotels. Vale ressaltar que a fração imobiliária é um direito real, na qual o proprietário recebe escritura registrada em Cartório de Registro de Imóveis e pode inclusive ser deixado como herança aos sucessores.

O empreendimento também será associado à RCI - empresa líder mundial em intercâmbio de férias e que integra o grupo Wyndham Worldwide, uma das maiores empresas do mundo na indústria de hospitalidade. Com isso, irá atrair turistas de outras regiões do País e hóspedes internacionais.

Na prática, a RCI funcionará da seguinte forma: os proprietários de frações no Quinta Santa Bárbara Eco Resort poderão trocar suas semanas no empreendimento por hospedagens em hotéis e resortscredenciados à RCI no Brasil e no mundo. Em contrapartida, o empreendimento de Pirenópolis passará a ser um destino disponibilizado pela RCI para seus mais de 3,8 milhões de associados espalhados em diferentes países

Fonte:

COMUNICAÇÃO SEM FRONTEIRAS
RAQUEL PINHO E EQUIPE
Contatos: (62) 3522 3163 ou (62) 3921 0430
Whatsapp: (62)9919-9659

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial