12 de junho de 2020

AS ATITUDES CORAJOSAS NA LIDERANÇA DE NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS

Em um campeonato de golf, um jogador iniciante, mas muito talentoso disputava com os melhores do mundo e precisava fazer algo diferente para ter alguma chance. A técnica ele já tinha, porém lhe faltava a confiança e a interpretação das jogadas. Seu caddie (carregador de tacos) que também fazia um papel de mentor, em uma das jogadas o provocou para que visualizasse o campo não só pela sua distância até a bandeirinha vermelha onde estava o buraco almejado, mas como o seu principal concorrente fazia: olhando o campo, concentrado, antevendo a jogada e escolhendo a tacada perfeita e única que estaria em perfeita harmonia com aquele momento, todavia era a tacada que o escolhia.*

Se cada campeonato há um campo diferente e se considerarmos que o campo é o mercado imobiliário, teremos sempre que lidar com novos e inesperados desafios, afinal, cada vez mais o mercado muda com rapidez e os líderes têm uma enorme responsabilidade de assumir posições, fazerem escolhas e darem o seu máximo. Sempre haverá uma tacada perfeita para cada momento e a cada dia também haverão novas técnicas e novos campos que certamente serão superados pelas lideranças que estiverem amparadas por uma equipe qualificada, alinhada e comprometida de que esses desafios fazem parte do jogo.



Em tempos de grandes incertezas se espera mais das lideranças; que ele seja capaz de antecipar, dirigir, acelerar, fazer parcerias e confiar. Pesquisas recentes do Instituto Korn Ferry sobre o tema, com mais de 1000 empresas em 12 países evidenciam a importância do líder que assume riscos, engaja seus liderados e ajuda a organização a inovar e buscar novas oportunidades de negócios. Do ponto de vista financeiro os mesmos estudos demonstram que menos de 20% das organizações estão confiantes que os líderes cumpram as prioridades estratégicas definidas. 

Fatores-chave como transparência, criatividade, infalibilidade, adaptabilidade, ética, intuição e resiliência passam a ser imprescindíveis nos negócios. Entretanto, as exigências vão além. Torna-se evidente a necessidade de formar líderes que inspirem e formem novos líderes, na busca de desenvolver processos e modelos de negócios alinhados com a construção de uma nova sociedade mais integrada. 

Dentre dez habilidades previstas em 2020 para as lideranças, destacamos cinco muito importantes ao gestor que quiser compreender como inspirar todos que compõem sua força de trabalho diversificada. 

São elas:

Alfabetização de dados - As empresas do segmento imobiliário que não usam algoritmos, ficarão ou já ficaram para trás. As organizações devem contratar líderes com qualificação na área. Cargo como “cientista de dados” trabalhando em uma incorporadora ou imobiliária não é nenhuma novidade.

Inteligência cultural e diversidade - As organizações são cada vez mais diversas e os líderes mais eficazes devem respeitar essas diferenças e trabalhar com pessoas de diferentes raças, credos, gerações, orientação sexual e crenças políticas. É fundamental ainda que o líder estimule seus times a conhecer outras culturas e idiomas, visto que empresas tendem a se tornar plataformas híbridas de atendimento rompendo fronteiras físicas regionais através da tecnologia e digitalização de seus serviços e produtos.

Adaptação e flexibilidade – A mudança tornou-se parte da operação diária, sendo elemento constante nas transformações dos processos e negócios. Os gestores precisam se comprometer a aprender novas habilidades, sendo flexíveis a novas idéias e maneiras de solucionar os problemas complexos da empresa.

Inteligência emocional - A capacidade do líder estar ciente, controlar e expressar suas emoções será cada vez mais importante e valorizada no ambiente empresarial. O exercício da empatia pessoal ainda sobrepõe a relação técnica racional do robô. A tecnologia ainda não consegue estimular essa habilidade comportamental humana.

Julgamento e tomada de decisão - As máquinas conseguem analisar os algoritmos numa velocidade superior a que nós humanos conseguimos, porém são incapazes de tomar decisões e analisar os dados com profundidade. Por isso, os gestores capazes de fazer a leitura dessas informações para uma tomada de decisão eficaz serão muito valorizados no mercado. 

O futuro sempre foi e será incerto e a dinâmica dos negócios atuais possui uma velocidade de difícil domínio, então nos resta manter o radar ligado, observar, conhecer, testar, aprender e corrigir com rapidez, afinal a maior competência dos grandes líderes sempre foi e será sua intuição e coragem de agir baseado na sua interpretação de dados, cenários, estudos, experiências e riscos calculados.

Texto desenvolvido por Daniel Rosenthal (Plataforma Corretor Global), Edvaldo Corrêa (Head de Novos Negócios B2B da Tecverde) e Telmo Bauler (Bauler Assessoria Organizacional).

Referências bibliográficas: 
  • The 10 skills you need to thrive in the Fourth Industrial Revolution, 2016
  • Global and Regional Real World Leadership Report - Korn Ferry, 2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seus comentários, críticas e sugestões...
Todos os comentários são lidos e moderados.
Grato!